4 lições do livro PAI RICO, PAI POBRE, para te ajudar a superar o medo da demissão.


Em 14 de abril de 2020, o Brasil bateu o novo recorde no índice de endividamento para pessoa física, 7 em cada 10 brasileiros tem o nome sujo, o maior percentual desde 2010 (dados da Confederação Nacional do Comércio).


Acompanhando a onda, o índice de desempregados, também deu um novo salto, segundo o IBGE dia 28 de maio a taxa alcançou 12,6%.


E dentre aqueles que ainda tem um emprego, 40% afirmam que tem medo da demissão, muitos presenciaram levas de cortes e sentem-se pouco otimistas em relação ao mercado.


As variáveis desta tragédia anunciada são infinitas, nós poderíamos citar o governo, a pandemia do COVID-19, a América Latina, o Brasil por ser um país subdesenvolvido e por aí vai; variáveis realmente muito importantes.


Robert Kiyosaki, no entanto, conseguiu encontrar outro meio para justificar o desespero, preocupação, ansiedade e medo, por trás do pânico que a possibilidade da demissão possa causar na saúde mental de um trabalhador, a Educação Financeira (ou falta dela).


Infelizmente, ainda não é uma disciplina obrigatória nas escolas, o que poderia nos poupar de conviver com dados tão tristes, como os que citei acima (super atualizados).


Mas quando foi mesmo que você pensou que o medo da demissão, poderia estar associado a Educação Financeira?


Em seu livro, Pai Rico, Pai Pobre, Robert Kiyosaki nos abre portas para pensar de uma forma difernte e construir uma nova relação com o dinheiro.


O modo como as situações são expostas no livro, nos faz refletir sobre nossos hábitos e comportamentos, responsáveis por criar um looping infinito na vida de milhares de pessoas, conhecido como Corrida dos Ratos.


Se você nunca ouviu o conceito, trata-se de um ciclo financeiro que a maior parte dos trabalhadores adultos vive diariamente.


Na minha opinião, um nome até bonito para o que eu chamaria de estilo autodestrutivo da saúde mental; onde as pessoas trabalham pelo dinheiro e em seguida gastam tudo que ganham.


Exceto se você abdicar completamente da sua relação com ele e viver como um eremita, irá precisar aprender gerenciar seus ativos e passivos, caso contrário será para sempre um escravo da Corrida dos Ratos.

"Raramente os problemas de dinheiro das pessoas são resolvidos com mais dinheiro. A inteligência resolve os problemas. Um amigo meu costuma repetir uma frase para as pessoas endividadas. “Se você descobre que se enterrou num buraco… pare de cavar.” Robert Kiyosaki

Uma referência aos ratinhos que trancados em suas gaiolas correm para se movimentar, mas independente do esforço nunca saem do lugar.



Se você ainda não entendeu, o que a Corrida dos Ratos, Robert Kiyosaki e Independência Financeira tem a ver com o medo da demissão, aí vai: o dinheiro deve ser sua moeda para liberdade, não sua prisão.


E embora eu não deseje ser demitida, Pai Rico, Pai Pobre, me ensinou grandes lições através da educação financeira para superar esta pressão.


Não trabalhe pelo dinheiro


"Se você trabalha pelo dinheiro, está cedendo poder a seu empregador. Se seu dinheiro trabalha para você, você mantém e controla o poder".


Sem dicas superficiais, o foco não é escrever um artigo motivacional, mas trabalhar apenas pensando no salário ao final do mês, é o que vai te fazer enlouquecer e acabar com sua saúde mental.


O fluxo eterno: Trabalhar para receber salário, gastar tudo e depois ter que trabalhar novamente para conseguir mais.


Como fazer o dinheiro trabalhar por você? Comprando ativos!


Ativos e Passivos


A definição de Ativo e Passivo é uma das maiores lições do livro Pai Rico, Pai Pobre.


Diferente da definição contábil da literatura ele cita:


Ativo é tudo que coloca dinheiro no seu bolso Passivo é tudo que tira dinheiro do bolso Exemplos de Ativos são, ações, títulos públicos, imóveis que gerem renda, fundos de investimentos, negócios próprios.

Exemplos de Passivos são: casa e carro, por exemplo.


O comportamento de um prisioneiro a Corrida dos Ratos, é imediatamente após conseguir dinheiro, comprar passivos, TV, celular, carro novo, mudar de casa, etc.


E o principal ponto deste comportamento é que o salário como única fonte de renda, aprisiona, se torna um estilo de vida autodestrutivo.


O objetivo passa ser apenas trabalhar de segunda a sexta feira, independente de estar satisfeito. A remuneração ao final do mês é a sobrevivência do próximo.


Logo perder o emprego é desesperador e a vida passa ser conduzida por medo e ambição.


Estar Sem Dinheiro x Estar Quebrado


É inegável que como best seller, não introduza conceitos de filosofia de vida, para Robert Kiyosaki, devemos enxergar o fato de não ter dinheiro sob duas perspectivas: situação temporária ou permanente.


"Não há o que fazer", "Esta crise está acabando comigo".


Pense muito bem antes de afirmar algo sobre seu estado financeiro, estar quebrado é uma situação temporária e você pode encontrar meios de superar e sair deste ciclo, no entanto, aceitar esta situação e torná-la parte da sua vida é o que mantém prisioneiros.


A Importância da Educação Financeira


Talvez você leitor não soubesse que a falta de Educação Financeira, pudesse ser a causa de medo e tanta infelicidade no dia-a-dia do trabalhar brasileiro.


Infelizmente não é uma matéria obrigatória nas escolas, mas isto também não é desculpa; o pai rico de Robert Kiyosaki nunca terminou o ensino tradicional e isto não impediu que ele ultrapassasse esta barreira.


Você precisa iniciar o quanto antes a construção daquilo que você pode chamar de patrimônio ou riqueza, mas eu gosto de referir ao termo como paz de espírito.


Eu gosto de definir minha relação financeira, como meio ou moeda de troca para liberdade.


O ponto máximo da leitura de Pai Rico, Pai Pobre, é que o seu dinheiro precisa trabalhar para você e não o contrário.


E não saia por aí querendo se tornar o Lobo de Wall Street, comece fazendo o simples, estudando, se planejando, reprogramando o seu mindset (me segurei para não usar esta palavra no artigo hehe).


Não existem atalhos e exceto se você tiver um bola de cristal, recomendo que vá estudar muito antes.


Aproveite sua jornada de descobrimento financeiro com bom humor e seja paciente.


É preciso sair do piloto automático da vida financeira.


Não seja parte de uma estatística triste, seja gentil com sua saúde mental.


PS: O Touro de Wall Street é o maior símbolo de poder da Bolsa de Valores de Nova York, dizem que esfregar a mão nos seus testículos traz muito dinheiro. Eu me considero muito inteligente para acreditar na lenda, mas não custa tentar né 😂? Faz parte do bom humor da caminhada. Aproveite a jornada tanto quanto seu objetivo final!




Se você também é uma Mentes Inquieta, vem comigo para conteúdo reflexivo em primeira mão, você pode se inscrever na minha Newsletter ou entrar no Grupo do LinkedIn, tem sempre conteúdo para te ajudar encontrar sua melhor versão por lá

Sobre a autora

Oi, eu sou a Mari, não gosto dessa coisa de falar sobre mim na terceira pessoa e prefiro contar sobre minhas experiências e sonhos a falar sobre meu currículo profissional. Minha maior ambição é inspirar a produção e consumo de conteúdo criativo no mundo de forma simples e prática, para que as pessoas possam levar a vida com mais humor e tirar velhos planos da gaveta. Fora do meu horário de trabalho, estou sempre escrevendo algumas coisas aqui. Em 2020 comecei oficialmente a ajudar algumas pessoas a fazerem o mesmo, o objetivo: viver plenamente, escrita é também é terapia! Tem dúvidas? Quer acompanhar todas as novidades? Ficar por dentro de todas as ideias? Fala comigo, é só me seguir no LinkedIn, Mariana Rosa.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo