É agora ou nunca: de CLT concursada a dona do próprio restaurante vegano



2020 foi meu ano mais solitário. Em uma rotina home office há mais de 2 anos, posso sim dizer que muita coisa mudou: as visitas aos clientes e parceiros acabaram completamente. Me vi mergulhada na minha própria companhia, completamente sozinha no apartamento. Um alívio pontual às 20 horas é quando meu companheiro chega em casa, e a partir daí eu não paro de falar até a hora de dormir.


Dá pra surtar, mas dá pra aproveitar muita coisa também. E eu me apoiei onde foi possível: atividades físicas regulares e uma alimentação equilibrada.


Ficar mais tempo em casa, me levou mais tempo à cozinha (que eu amo), minhas refeições ganharam relevância e mais significado, ajudando a transformar o dia a dia, em algo mais especial e diferente.


Sou uma amante de legumes/verduras e, neste ano, consegui eliminar quase completamente a carne das minhas refeições. E por favor, não me acho melhor que ninguém por conta disso, apenas resolvi dar espaço a um novo estilo de vida que sempre gostei.


A Fernanda Benavente, há 6 anos, também deu espaço a um novo estilo de vida. E acreditem, dar espaço para o novo promove desbloqueios: ela largou a carreira pública e abriu um restaurante vegano em SP.


Por vezes, nossas maiores seguranças, se tornam grandes bloqueios criativos. Não estamos aqui construindo um discurso que irresponsavelmente te influencie a largar tudo, longe disso, apenas sugerir pequenas mudanças. E você pode começar este processo de autoconhecimento, por algo bem simples: sua alimentação.


O bate papo de hoje é uma história linda da perseguição de um sonho (que começa literalmente por um sonho), e se transforma através da comida. Leia os melhores momentos da entrevista a seguir.


Fer, qual sua história no mundo e como a culinária vegana entrou na sua vida?


Vivia na caixinha da estabilidade, seguindo o script de tudo que a sociedade espera de alguém: concursada do Banco do Brasil, formada em Marketing pela USP, casada (marido também concursado).


Sobre a culinária vegana entrar na minha vida: sou uma pessoa muito intuitiva, há 6 anos, sonhei que estava em um campo (paisagem estilo proteção de tela do Windows), e formou-se uma fila de animais, eles me contavam um a um seu papel no planeta terra. Acordei em choque, chorando muito e nunca mais comi carne e nenhum derivado (inclusive a Fer não recomendo parar de uma vez).


Nesta transição para o mundo vegano, estava cansada de comer sempre pratos que imitam a culinária tradicional, por exemplo, não quero comer feijoada vegana todo sábado, quero variedade. Por isso, comecei a participar de várias feiras de culinária vegana, o que me deu um start para ter um restaurante.


Encarei que vender seguros não era meu propósito na vida, eu simplesmente, não conseguia mais ir trabalhar. Sentei, conversei com meu marido e planejamos juntos minha demissão, vendemos nosso apartamento e abrimos o restaurante.


Sonho, tradicional de qualquer padaria só que na versão vegana by Fernanda Benavente.


Como você tem visto a aceitação das pessoas ao longo do tempo, em uma dieta mais rica em vegetais, especialmente no período da pandemia?


Total. A quarentena tem duas fases, a primeira, ˜uhulll vamos ficar em casa˜, a segunda, ˜não dá para viver só de delivery, precisamos maneirar no junk food˜.


As pessoas passaram a abrir a geladeira da própria casa e avaliar o que é que tem lá. Viram que a comida precisa de preparo e passaram a viver este processo.


Em casa é possível reparar mais o que se come e ter mais controle sobre o que é colocado na comida. As pessoas se envolveram mais, em busca de sabor, começaram a testar possibilidades, misturas, temperos e formas de preparo.


Isso foi um choque de realidade, o que provoca um autoconhecimento. É possível fazer um estudo empírico, por exemplo, ˜Estou com um estufamento hoje, será que foi aquele pão que comi?˜.


Percebi essa consciência em muitas pessoas.


As questões ambientais, transformou como você vê a cozinha?

Tem gente destruindo nossa casa, não só em relação ao consumo de carne, mas tudo, o ser humano é muito consumista. Nunca foi tão fácil comprar e descartar como hoje.


Dá para perceber, o quão rápido conseguimos encher o lixo de casa só com embalagens e descarte de comida estragada. Não fomos ensinados a pensar, sobre o que acontece com o lixo quando sai da nossa casa.


A natureza não consegue mais lidar sozinha com tudo que estamos despejando nela. O planeta já estava aqui antes da gente aparecer, fatalmente as mudanças climáticas, chuvas intensas, calor e frio fora de época, são as primeiras respostas.


Agora imagine, 1 dia na semana, que fosse, que todos deixassem de comer carne. Seria suficiente para ver muita mudança.


Comida e saúde para você, qual a relação?


Uma coisa só. Impossível ter saúde se você não se alimenta bem. O alimento é o nosso remédio.


Pergunte-se, como quero estar aos 80 anos? Com as articulações saudáveis? Quer ter mobilidade? Sentar no vaso com tranquilidade? Quer depender de alguém? Quer viver de remédios?


Uma hora o corpo sede. Não existe ninguém que seja saudável que se alimente mal.


Avocado grelhado sob posta de tofu selado em especiarias by Fernanda Benavente.


Quais as dicas para uma virada de chave (consumir menos carnes ou inserir mais variedades)?


Não adianta querer parar de comer carne, se você não come legumes e verduras. Literalmente, você vai se ferrar, nós precisamos de nutrientes.


Quem só come arroz, feijão e bife, em algum grau vai ter deficiência de nutrientes, assim como veganos, que só comem batata frita e macarronada.


Fico triste quando escuto as pessoas reproduzirem mitos como: tendência a ter anemia, deficiência de B12 e por aí vai. Elas escutam algo de relance, e nem sequer pesquisam, parece que todo mundo vira nutricionista.


Dá para ser saudável das duas formas, comendo carne, assim como dá para ser saudável comendo só frutas e legumes.


Fer, qual a mensagem, você gostaria de passar para ajudar no despertar das pessoas, com o olhar sobre a alimentação?


Tente se ouvir, o ser humano é intuitivo, e isso não tem a ver com religião. Siga seu feeling. Tem dia que você sabe que se você tomar uma caneca de café, vai ter dor de estômago. Você sabe quando vai passar mal. Então ouça seu corpo.


Faço das palavras da Fer às minhas. Dá para ser saudável comendo carne ou só comendo frutas, legumes e verduras. Você precisa encontrar seu estado ótimo entre mente e corpo, para isto, a alimentação além de ser sua maior e melhor ferramenta, vai ser também seu instrumento de autoconhecimento.


O mundo é compartilhado, portanto, um pouquinho de consciência entre o que acontece dentro/fora do nosso corpo, é a mais nobre ecologia. Alimentação é que nem meditação.A


Quer ajuda no processo? Recomendo super, que sigam este ser humano maravilhoso no Instagram para dicas de receitas, inspiração e disciplina Fernanda Benavente.

E tem receita inspiração para deixar a ceia do Natal diferente em 2020, a Fer ensina a fazer uma deliciosa farofa de legumes vegana, a mais molhadinha que você já comeu & rocambole de lentilhas🎅 🎄 🥘


Se você também é uma Mentes Inquieta, vem comigo para conteúdo reflexivo em primeira mão, você pode se inscrever na minha Newsletter ou entrar no Grupo do LinkedIn, tem sempre conteúdo para te ajudar encontrar sua melhor versão por lá


Sobre a autora


Oi, eu sou a Mari, não gosto dessa coisa de falar sobre mim na terceira pessoa e prefiro contar sobre minhas experiências e sonhos a falar sobre meu currículo profissional.

Minha maior ambição é inspirar a produção e consumo de conteúdo criativo no mundo de forma simples e prática, para que as pessoas possam levar a vida com mais humor e tirar velhos planos da gaveta.

Fora do meu horário de trabalho, estou sempre escrevendo algumas coisas aqui. Em 2020 comecei oficialmente a ajudar algumas pessoas a fazerem o mesmo, o objetivo: viver plenamente, escrita é também é terapia!

Tem dúvidas? Quer acompanhar todas as novidades? Ficar por dentro de todas as ideias? Fala comigo, é só me seguir no LinkedIn, Mariana Rosa.

1 visualização0 comentário